Mercado de e-commerce

O mercado de atuação da Infracommerce apresenta um tamanho substancial. Ainda que atuemos em outros países da América Latina, o principal mercado de atuação da Companhia é o Brasil. Segundo dados da ABCOMM, estimou-se que o setor de varejo B2C online no Brasil atingiria R$106 bilhões em 2020. De acordo com a yStats, a participação das vendas via e-commerce no mercado de varejo no Brasil (B2C) em 2019 foi de 7,0%, de modo que o setor de varejo B2C no Brasil corresponde a R$1,5 trilhão.

Já no segmento de B2B, o segmento movimentou um valor estimado em 2019 de R$2,4 trilhões no Brasil, segundo o Mercado & Consumo e o índice Busines-to-business Online medido pela E-Consulting. De acordo com estimativas internas da Companhia, levando-se em conta os volumes estimados das principais plataformas conhecidas no setor, cerca de 1% das transações B2B ocorrem via e-commerce, e, portanto, estima-se que o mercado de B2B online no Brasil corresponde a R$24 bilhões.

Apesar de expressivo, o mercado online no Brasil ainda é sub-penetrado quando comparado com outros países. A penetração do online de 7,0% de varejo B2C do Brasil ainda está abaixo de países como Estados Unidos e China, cujos respectivos segmentos online representam 21,3% (U.S Department of Commerce data, 2020) e 24,9% (Statista, 2020) das vendas do varejo.

Vale ressaltar o estudo da International Data Center (IDC) em relação ao mercado de aplicações de comercio digital – setor de atuação da Infracommerce e seus competidores. Segundo a IDC, esse mercado movimentou um montante estimado de US$ 5,3 bilhões em termos de receita (2020) e deve crescer em 12,2% ao ano entre 2020 e 2024, alcançando a marca de US$8,5 bilhões em 2024.

As empresas cada vez mais tem investido nas suas operações online para estarem preparadas para o aumento da relevância do e-commerce nas vendas do varejo no Brasil e no mundo. Fatores como (i) demografia favorável com geração tecnológica dos millenials ganhando relevância na pirâmide etária, (ii) mudança de comportamento do consumidor que tem procurado mais comodidade nas suas compras, (iii) aumento do engajamento online com aumento da adesão de smartphones na população, e (iv) aprimoramento de ferramentas tecnológicas, tem ajudado nessa tendência de transferência das vendas do varejo do lado físico para o mundo online.

Entendemos que a intensificação da exploração do e-commerce se desenvolveu principalmente em 3 ondas até o momento atual, em que a experiência do consumidor ocupa um papel central na estratégia online das empresas:

Onda 1 – Go Online consiste no desenvolvimento da plataforma de e-commerce e soluções básicas para a entrada das marcas no mundo online.
Onda 2 – Multicanalidade conexão entre as lojas físicas e as virtuais das empresas de forma a integrar todos os canais de relacionamento com o consumidor.
Onda 3 – Experiência Excepcional do Consumidor consiste em uma estratégia multicanal integrada focada em prover a melhor customer experience de forma a aumentar recorrência, tráfego e conversão através da utilização de recursos de Big Data/BI, soluções de inteligência artificial, estratégia de Gestão de Relacionamento com o Cliente personalizada, e uma rede logística completa, extremamente eficiente com opções de ultra fast delivery.